Archive for Março 2010

Ação da Audi no Twitter

No Comments »


Desenvolvido pela Urban Summer Digital Creative, o concurso cultural “Audi Gift Day” intregará prêmios surpreendentes para usuários do Twitter ao longo de 2010. Até o próximo sábado (3), a Audi premiará a resposta mais criativa da pergunta postada pela @audibr no Twitter: “Se você pudesse colocar um acessório extra em um Audi, qual seria ele e por quê?”. O premiado ganhará um jantar com acompanhante no badalado restaurante de Alex Atala, o D.O.M., com direito a chegada triunfal com motorista e um Audi A6.

Volkswagen e AlmapBBDO estreiam novo formato de propaganda no Gmail

No Comments »


Montadora será a primeira marca no mundo a customizar a página da caixa de entrada do email do Google



A Volkswagen é a primeira marca no mundo a trabalhar com publicidade na plataforma do Gmail. A parceria entre a montadora e o Google está sendo viabilizada pela AlmapBBDO, que criou skins - telas dinâmicas para serem usadas como fundo de tela - com imagens dos modelos da Volkswagen. Os skins poderão ser utilizados pelos usuários do Gmail para personalizar suas caixas de entrada dos emails. O Gmail já oferece diversas opções de personalização, mas é a primeira vez que o formato é utilizado como opção de mídia por um anunciante. E a estreia mundial coube à Volkswagen, num layout desenvolvido pela AlmapBBDO em cima de um projeto do Google.

Como são dinâmicas, as telas mudarão a cada duas horas, durante o dia. Dependendo da hora em que o usuário abrir sua caixa de entrada do Gmail, verá um carro diferente sob um fundo de cor também diferente. Os carros ficam sobre a listagem dos emails e abaixo dela, em tamanho maior. Ao lado, diversos textos brincarão com o dono da conta, ligando o carro que está sendo exibido ao momento em que ele está verificando suas mensagens. Todos os títulos brincam com o horário em que a pessoa está acessando seus emails, ligando-os ao carro apresentado e alinhados aos conceitos das campanhas de comunicação de cada modelo. Assim, por exemplo, quando aparecer a foto do Fox, o título provocará: “sabe esta porção de emails aí em cima? Cabe tudo dentro de um Fox e ainda sobra espaço.” Se a tela do Gmail for aberta à tarde e lá estiver o Novo Gol, a brincadeira será: “para encarar o início da tarde, você precisa ser forte como o Novo Gol”. Fox, Gol, Golf, Polo, Saveiro, Tiguan e Voyage foram os modelos escolhidos pela Volkswagen para a ação.

É simples colocar o skin da Volkswagen na página do Gmail. É só fazer o login na conta do Google, clicar em Configurações e entrar em Temas. A Volkswagen é a única que possui página no formato Sponsor.






Pesquisa analisa os desafios e estratégias em Comunicação 2.0 das grandes empresas

No Comments »






Um levantamento exclusivo, realizado pela Fundamento Análises com 50 executivos de TI e Comunicação de 31 empresas nos três primeiros meses de 2010, foi alvo de um dos painéis do Web Expo Fórum, organizado no Centro de Eventos do Shopping Frei Caneca entre os dias 17 e 19 de março em São Paulo/SP. Mais de 500 participantes de vários estados brasileiros estiveram envolvidos numa maratona de 49 atividades – entre palestra, painel, keynote e workshop – com 68 ministrantes. Os resultados do estudo foram apresentados pela diretora de Planejamento da Fundamento Comunicação Empresarial, Adriana Panzini, e pela coordenadora do trabalho, Madu Troyano, e debatidos pelo diretor geral da Aberje e professor-doutor da Escola de Comunicações e Arte da ECA/USP, Paulo Nassar, e pelo consultor e professor Rogério de Andrade.

Evidenciando que a natureza das empresas ainda não está tão alinhada à velocidade que os meios digitais permitem e exigem, 52% dos consultados apontam a falta total de interação das organizações com seus públicos online. De todo modo, quando isto acontece, é através do Twitter (24%), Orkut (22%) e Facebook (17%), e depois os blogs (14%). Esta falta de interação é atribuída à ausência de estratégia definida (20%) e receio de se expor (20%), além de não verem benefícios para geração de negócios B2B (17%) e de reconhecerem não haver estrutura interna para atender as demandas (17%). Para Madu, “a aprendizagem contínua precisa passar pelo recebimento de críticas”, algo que as organizações não estão preparadas.

A maior parte das empresas afirmou começar a tentativa de interação através do setor de comunicação interna, que ajuda a disseminar a cultura Web 2.0 na empresa. Outra “porta de entrada” são sites com interação, que ajudam a monitorar o volume de interações e os assuntos predominantes, afora ações pontuais que permitem monitorar repercussão, fechamento de negócios e geração de buzz. Como exemplos de sucesso foram citadas as redes sociais internas nas organizações, que demonstram a efetividade de compartilhar informações e melhorar a produtividade. A internet como apoio a marketing é outro modo de reconhecer a pertinência da rede, em suporte a campanhas em mídias tradicionais e como plataforma para promoções e jogos. A captação de novos talentos também é outro indicador, porque já vem sendo feita via redes sociais, com evidente economia e precisão de perfil. Conteúdos informativos distribuídos têm mostrado força como geradores de novos negócios e foram outro apontamento daquelas organizações com experiência nas interfaces online. “Em geral, a mentalidade tradicional nas empresas é de restrição de informação”, comenta Adriana.

Como marcas de esforços inadequados para o meio, foi citada pelos entrevistados a manutenção de perfis falsos ou manipulados, em que a interação em redes sociais feitas por funcionários que se passam por clientes satisfeitos. Quando a idéia era excelente, muitos casos relatam problemas técnicos que impediram a execução, sendo outro ponto de preocupação. O alarde sobre lançamentos de portais, conteúdos ou campanhas que não se concretizaram na data ou forma divulgada vem acrescer na política imprópria para a presença digital, bem como não ter uma identidade única na internet e fora dela, ocasionando falta de alinhamento na comunicação e resultados abaixo do esperado.

MODELOS - Para Nassar, dentro da comunicação organizacional, quando se olha o “estado da arte”, é preciso perceber os fluxos de informação – descendente, ascendente, horizontal e transversal. Este último é o que predomina nas redes sociais, onde não há respeito a hierarquias e predomina a rede informal de contatos. São os modelos administrativos, portanto, que determinam as possibilidades de interação. As empresas trazem uma cultura de controle de produtividade e de comportamentos, onde os trabalhadores são vistos como operadores. Hoje, o controle do trabalhador do conhecimento é inadequado, pois é alguém que gera valor exatamente pelo diálogo. “Nas organizações, há um tremendo desafio, que é o controle, devendo respeitar o novo social. Nele, a seleção por stakeholders como meio de ação acabou. Cada um desempenha inúmeros papéis sociais”, exemplifica.

Há perda de centralidade da empresa no momento em que todos produzem conteúdo, segundo o diretor. As questões colocadas são contrapostas por outros agentes em tempo real. Os P´s perdem poder: pai, professor e padre agora convivem com outros protagonistas que atraem a confiança das pessoas. E isto, naturalmente, se alastra para o ambiente organizacional e indica a necessidade de emergência de novas práticas, não só de comunicação.

Andrade aposta que “antes de falar em web 2.0, precisamos entender e falar de gente”, até porque todas as alterações trazidas pelo ambiente digital têm repercussão direta no cotidiano com mudança de legislação tributária, compras, direitos autorais e relacionamentos. Há impactos nos pontos de contato, na diminuição de custos, na geração de receitas, nas telecomunicações, na gestão e na atração de negócios, mostrando que cada vez mais as ações precisam estar interconectadas para obtenção de resultados. Ele acrescenta que “é preciso quebrar paradigmas dentro da organização, como a rigidez da estrutura hierárquica”, além do fato de a fragmentação não ter mais espaço, porque é preciso uma visão global. “Não dá pra fazer projeto na internet e ver no que vai dar. Precisa de plano estratégico”, complementa defendendo ambientes de teste, homologação e produção. O consultor ainda localiza outro nó nos projetos interativos: mais de 70% do trabalho depende de TI, mas se vê uma desconexão mútua muito grande entre negócios e tecnologia quanto a necessidades, possibilidades e prazos. A saída é estruturar comitês de projeto com interlocutores de vários setores.


RP Rodrigo Cogo – Conrerp SP/PR 3674
Gerenciador do portal Mundo das Relações Públicas (http://www.mundorp.com.br/)

Nestlé inova e cria SAC pelo SMS

No Comments »



Serviço Nestlé ao Consumidor completa 50 anos com cerca de 2,5 mil contatos por dia


O consumidor que estiver passando em frente a uma gôndola de supermercado, preparando uma receita ou até mesmo na rua e tiver dúvidas sobre um produto Nestlé poderá esclarecê-la ali mesmo, na hora. Não precisa mais enviar carta, e-mail ou ligar para o serviço de atendimento ao consumidor: a Nestlé se relacionará com seus clientes também pelo SMS. De graça, qualquer um poderá enviar uma mensagem pelo celular para o número 25770 e ter a resposta na mesma hora. Se for alguma questão mais complexa, a Nestlé liga direto para o celular do consumidor.

A criação do novo canal de relacionamento, inédito no Brasil, faz parte das comemorações dos 50 anos do Serviço Nestlé ao Consumidor. Por dia, a Nestlé recebe cerca de 2,5 mil contatos de clientes, atendidos por 95 profissionais, incluindo parceiros e uma central de atendimento 0800 dentro da companhia. São 40 cartas e mil ligações, o mesmo número de e-mails. Por SMS, a empresa já respondeu 110 clientes depois de divulgar pelo site e pela revista Nestlé com Você.

A publicação é outro destaque que serve como ponto de contato entre a marca e seus consumidores. São 300 mil exemplares distribuídos mensalmente. Se fosse uma revista tradicional, estaria entre as 10 maiores do país. O portal também é outro campeão de audiência. Acessado por um milhão de pessoas todo mês, o canal on-line oferece informação personalizada sobre nutrição, saúde e bem-estar.

Atendimento ao consumidor é estratégicoA estratégia de relacionamento da Nestlé serve de exemplo para o mundo. Todo dia é gerado um relatório para todas as áreas sobre os principais fatos levantados pelos consumidores. A partir deste trabalho, a empresa já criou e melhorou seus produtos, como a recente reformulação das tampas das embalagens dos produtos enlatados. “O Serviço Nestlé ao Consumidor não é apenas um serviço, é estratégico para a companhia”, afirma Izael Sinem Junior, Diretor de Comunicação e Serviços de Marketing da Nestlé Brasil.

Os mais de mil produtos de mais de 50 marcas da Nestlé estão em 98% dos lares brasileiros, segundo a Kantar Worldpanel. Três milhões de pessoas fazem parte do programa de relacionamento da marca, o Nestlé com Você todo dia. São consumidores que estão sempre em contato com a companhia e fazem parte de um banco de dados retroalimentado pela companhia e acompanhado de perto. “Queremos conhecer o nosso cliente e se relacionar com ele”, aponta Marcia Abreu, Gerente Executiva de Gestão de Relacionamento da Nestlé Brasil.

Apesar da inovação ao oferecer o relacionamento por SMS, a Nestlé não tem nenhum canal de atendimento nas redes sociais. E, embora monitore todas elas, não pretende colocar o seu pé neste ambiente. “O cliente que posta alguma coisa na mídia social sempre fala com a gente pelos meios tradicionais e depois que o respondemos ele mesmo publica a nossa resposta”, explica Marcia. “Acreditamos que este ambiente é muito democrático e é nesta democracia que vamos atuar”, responde ao Mundo do Marketing.

História de inovaçãoMesmo sem um canal de atendimento na mídia social, a Nestlé promove seus produtos por meio de informação no seu portal http://www.nestle.com.br/ e no recém criado aplicativo para iPhone com receitas. Desenvolvido em conjunto com a Future Group, mesma agência que criou o SAC pelo SMS, o aplicativo já teve mais 45 mil downloads. A Nestlé não informa o investimento nestas ações e ainda não sabe quantos SMS receberá por dia.
Só sabe que serão muitos, principalmente porque a marca comunicará os 50 anos do Serviço Nestlé ao Consumidor (SNC) com uma campanha publicitária criada pela Fábrica que estará na mídia imprensa, on-line e dirigida. A ação possui um hotsite que conta a história do serviço que foi pioneiro em 1960 e ofereçe cinco fascículos com receitas consagradas, depoimentos dos funcionados no SNC e de consumidores.

A expectativa é se aproximar ainda mais dos consumidores e não deixá-los insatisfeitos. O serviço de Atendimento Nestlé surgiu como Centro Nestlé de Economia Doméstica, com função de esclarecer as dúvidas culinárias das donas de casa e auxiliá-las com receitas elaboradas, principalmente, com o Leite Moça. Hoje, a partir das manifestações dos consumidores, a empresa voltou a comercializar o Nescau tradicional e o chocolate Sensação depois de ter retirado estes produtos dos pontos-de-venda.



Mundo do Marketing.

Como a mulher de baixa renda se relaciona com a Internet?

No Comments »





Empresas e anunciantes devem ficar atentos, já que 63% dessas consumidoras buscam informações sobre os produtos nos sites das empresas e 12% participam de fóruns ou comunidades a favor ou contra uma marca.

Quem é e o que faz na Internet a mulher dona-de-casa da classe C, de 25 a 49 anos? Esse é o novo mundo que está sendo aberto com o lançamento da Etnografia Digital, metodologia desenvolvida pela Predicta e pela MultiFocus. A força dessa ferramenta está demonstrada nos resultados do projeto piloto, que contempla os hábitos de navegação dessas internautas, como:

- 40% passam mais de duas horas por dia conectadas; - 83% se conectam todos os dias;- 86% participam de alguma rede social;- 23% já criaram ao menos uma comunidade;- 33% consideram a Internet um passatempo melhor do que a televisão;- 78% se sentem mais globalizadas na Web;- 15% chegam a se sentir mais inteligentes;- 26% declaram se sentir totalmente seguras em fazer compras online.

Além disso, os registros de navegação apontaram para uma grande atividade desse público na Web: em 11 dias foram registrados 94.250 acessos em 2.700 URLs diferentes; considerando o tipo de sites acessados, 44% da navegação foram em páginas de relacionamento; 38% em sites de informação; 10% em entretenimento; 6% em e-commerce e 2% em serviços.

Analisando as URLs acessadas percebe-se que, em sites de relacionamento, as redes sociais respondem por 94% dos acessos, sendo o Orkut o mais visitado. O acesso a chats foi significativamente menor, com somente 5%, e os blogs registraram 1%.

Outro dado interessante é que apenas 34% dos acessos são para enviar ou receber e-mail, o que mostra a força dos contatos imediatos presentes nas redes sociais. Apenas 10% da procura por informações foram em portais, jornais e revistas, enquanto que “buscadores” foram responsáveis por 56% das visitas.Já os acessos a serviços são mais distribuídos: Internet Banking foi responsável por 23% das visitas em portais de prestação de serviços, mas perdeu para a busca por emprego, que respondeu por 54% das URLs nessa categoria. O governo vem fazendo um bom trabalho, com 19% do total de navegação em sites de serviços na Web.

De acordo com a pesquisa, 60% dessas consumidoras dizem que diminuíram o tempo de pesquisas de preços nas lojas, pois o fazem pela rede. Portais de produtos usados estão em alta, já que 20% entram com freqüência e, 57%, eventualmente.

Para empresas e anunciantes, cuidado com elas: 63% buscam informações sobre os produtos nos sites das empresas e 12% registraram participação em fóruns ou comunidades a favor ou contra uma marca.

MetodologiaA Etnografia Digital é um método de pesquisa que monitora o público a ser pesquisado em tempo integral, visando acompanhar o comportamento dos pesquisados em tempo real e ambiente natural.

A pesquisa foi realizada durante 11 dias corridos (16 a 27 de dezembro de 2009), com 50 donas-de-casa com Internet em domicílio, de 25 a 49 anos, residentes em São Paulo e com renda familiar de até 10 salários mínimos, ou seja, nível sócio-econômico C. Essa faixa de renda foi escolhida porque as famílias nesse patamar foram as que mais impulsionaram o crescimento da Internet, desde 2003.

Todas as participantes receberam um usuário e senha para se logar nesse período, em um site exclusivamente desenvolvido para esse produto, de modo que a navegação de outros membros da família não alterasse os resultados. Além disso, responderam a um questionário online por dia e ao final se submeteram a dois dias de chats.



MetaAnálise

CEBDS lança versão on line do Guia de Comunicação e Sustentabilidade

No Comments »



Acesse o site e conheça a versão para download gratuito


Profissionais de comunicação, gestão e marketing, estudantes, professores e interessados na área de Comunicação e Sustentabilidade já podem baixar o conteúdo do Guia de Comunicação e Sustentabilidade, recentemente produzido pelo Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS.

A publicação é uma iniciativa da Câmara Temática de Comunicação e Educação (CTCOM). Um dos objetivos do Guia é contribuir para a formação do profissional de comunicação e mídia, através da orientação sobre o conceito de Sustentabilidade e de dicas a respeito das ferramentas de comunicação e gestão aplicadas ao tema. Inspirado no Triple Bottom Line, o Guia sugere uma reflexão sobre três dimensões: Informação, Mudança e Processo, ou seja, Comunicação da Sustentabilidade, Comunicação para a Sustentabilidade e Sustentabilidade da Comunicação.

Acesse o site http://www.cebds.org/ e conheça o Guia de Comunicação e Sustentabilidade. Boa Leitura!

O QUE O TRABALHO VOLUNTÁRIO PODE FAZER PELA SUA CARREIRA

No Comments »




* Renato Grinberg

Cada vez mais comum nas entrevistas de emprego e estágio, o questionamento sobre a realização de trabalhos temporários ou mesmo voluntários são muito importantes para descrever o perfil de um candidato. Isso pode passar despercebido pela cabeça de quem está concorrendo à vaga, mas é bom lembrar que um recrutador sempre faz as perguntas certas para conhecer cada um dos concorrentes. Neste caso, se a resposta for sim, pode deixá-lo ainda mais próximo da vaga.

Isso porque a impressão passada é de que este investe parte do seu tempo em outras pessoas e possui qualidades como facilidade de relacionamento interpessoal ou capacidade de ouvir e ajudar. Mas o principal aspecto positivo desta ação é de que o candidato não é acomodado, ele realiza ações importantes, mesmo não ganhando para isso, além de deixar claro que seu objetivo não é apenas o salário, mas o projeto que realiza.

No ambiente corporativo, tais características podem significar que determinado profissional é comprometido com o trabalho e veste a camisa da empresa, além de ter maior entrosamento com a equipe. O serviço social, então, mais do que se referir apenas à vida pessoal, pode influenciar também na vida profissional. Afinal, as características comportamentais tem quase o mesmo ou até mais peso que as habilidades técnicas na hora de se escolher um candidato.

Outra intenção que está por trás do recrutador quando pergunta do trabalho voluntario é saber se a pessoa sabe lidar com realidades diferentes da sua, como reage e o que consegue aprender. E isso pode ser entendido também como uma forma de perceber de antemão como o futuro colaborador irá se portar em ocasiões adversas e com pessoas que possuem um perfil diferente do seu.

Já no que se refere à tão requisitada pró atividade, aquele que faz algum tipo de serviço social sai mais uma vez na frente. Ele é capaz de verificar que há um problema em sua comunidade e vai atrás da solução, coloca em prática suas idéias e aguça a sua criatividade.

Para as empresas, é ótimo ter colaboradores com este perfil, pois eles são capazes de fazer a diferença em situações em que a maioria não reage. Já os candidatos, precisam estar atentos ao fato de que o voluntariado exige tempo de dedicação, freqüência e disponibilidade.

Não dá para começar este tipo de atividade apenas com o intuito de dar um up no currículo sem levar em conta a seriedade do serviço social, até mesmo pelo fato de que muitas vezes as companhias ligam para o local a fim de confirmar sua participação. O voluntário é, antes de mais nada, um doador nato, que faz sem esperar receber em troca. Este espírito deve guiar aqueles que buscam ajudar o próximo, desta forma, as vantagens para a carreira serão apenas conseqüência.

Renato Grinberg é diretor Geral do portal de empregos Trabalhando.com.br e especialista em carreiras e mercado de trabalho. Grinberg desenvolveu sólida carreira internacional, tendo trabalhado em empresas como a Sony Pictures e a Warner Bros., nos EUA. Na Warner, foi selecionado para um programa de desenvolvimento de executivos onde apenas quatro profissionais eram selecionados por ano entre centenas de candidatos vindos dos mais prestigiados MBAs americanos. Concluiu seu MBA na University of Southern California – Marshall School of Business, é pós-graduado em Marketing pela University of California - Los Angeles e formado em música e filosofia pela FAAM.

O QUE O TRABALHO VOLUNTÁRIO PODE FAZER PELA SUA CARREIRA

No Comments »



* Renato Grinberg

Cada vez mais comum nas entrevistas de emprego e estágio, o questionamento sobre a realização de trabalhos temporários ou mesmo voluntários são muito importantes para descrever o perfil de um candidato. Isso pode passar despercebido pela cabeça de quem está concorrendo à vaga, mas é bom lembrar que um recrutador sempre faz as perguntas certas para conhecer cada um dos concorrentes. Neste caso, se a resposta for sim, pode deixá-lo ainda mais próximo da vaga.

Isso porque a impressão passada é de que este investe parte do seu tempo em outras pessoas e possui qualidades como facilidade de relacionamento interpessoal ou capacidade de ouvir e ajudar. Mas o principal aspecto positivo desta ação é de que o candidato não é acomodado, ele realiza ações importantes, mesmo não ganhando para isso, além de deixar claro que seu objetivo não é apenas o salário, mas o projeto que realiza.

No ambiente corporativo, tais características podem significar que determinado profissional é comprometido com o trabalho e veste a camisa da empresa, além de ter maior entrosamento com a equipe. O serviço social, então, mais do que se referir apenas à vida pessoal, pode influenciar também na vida profissional. Afinal, as características comportamentais tem quase o mesmo ou até mais peso que as habilidades técnicas na hora de se escolher um candidato.

Outra intenção que está por trás do recrutador quando pergunta do trabalho voluntario é saber se a pessoa sabe lidar com realidades diferentes da sua, como reage e o que consegue aprender. E isso pode ser entendido também como uma forma de perceber de antemão como o futuro colaborador irá se portar em ocasiões adversas e com pessoas que possuem um perfil diferente do seu.

Já no que se refere à tão requisitada pró atividade, aquele que faz algum tipo de serviço social sai mais uma vez na frente. Ele é capaz de verificar que há um problema em sua comunidade e vai atrás da solução, coloca em prática suas idéias e aguça a sua criatividade.

Para as empresas, é ótimo ter colaboradores com este perfil, pois eles são capazes de fazer a diferença em situações em que a maioria não reage. Já os candidatos, precisam estar atentos ao fato de que o voluntariado exige tempo de dedicação, freqüência e disponibilidade.

Não dá para começar este tipo de atividade apenas com o intuito de dar um up no currículo sem levar em conta a seriedade do serviço social, até mesmo pelo fato de que muitas vezes as companhias ligam para o local a fim de confirmar sua participação. O voluntário é, antes de mais nada, um doador nato, que faz sem esperar receber em troca. Este espírito deve guiar aqueles que buscam ajudar o próximo, desta forma, as vantagens para a carreira serão apenas conseqüência.

Renato Grinberg é diretor Geral do portal de empregos Trabalhando.com.br e especialista em carreiras e mercado de trabalho. Grinberg desenvolveu sólida carreira internacional, tendo trabalhado em empresas como a Sony Pictures e a Warner Bros., nos EUA. Na Warner, foi selecionado para um programa de desenvolvimento de executivos onde apenas quatro profissionais eram selecionados por ano entre centenas de candidatos vindos dos mais prestigiados MBAs americanos. Concluiu seu MBA na University of Southern California – Marshall School of Business, é pós-graduado em Marketing pela University of California - Los Angeles e formado em música e filosofia pela FAAM.

Congresso de Relações Públicas reunirá 800 especialistas em comunicação no Peru

No Comments »





Lima, março de 2010 – Os mais destacados e prestigiados representantes do segmento de Comunicação e Relações Públicas participarão do International Public Relations Association 2010 – XIX Congresso Mundial de Relações Públicas que acontece nos dias 1, 2 e 3 de junho na cidade de Lima, no Peru.

Temas como reputação, poder das relações públicas nos negócios, mídia social, gestão de crises, responsabilidade social e comunicação política serão alguns dos assuntos abordados no encontro, ampliando a prática da especialidade nos mercados emergentes, como a América Latina.

Entre os 30 especialistas internacionais, estão confirmados: Alberto Arébalos, diretor de comunicação global e assuntos públicos do Google para América Latina; Leonardo Ortíz Villacorta, diretor de assuntos públicos e comunicações da Microsoft Corporation; Faisal Al-Zahrani, diretor de relações com imprensa e publicações da Saudi Aramco, maior empresa petrolífera do mundo; Aliza Chelminsky, diretora regional de assuntos corporativos da Pfizer; Ljösne Olay, gerente sênior de comunicações e operações internacionais da Shell Exploration & Production Africa; e Christophe Ginisty, fundador e diretor geral da Rumeur Publique, entre outros.

Durante o Congresso serão debatidas as estratégias e ações de comunicação que as empresas colocam em prática nas relações com seus acionistas em um contexto mutante, aos quais as redes sociais e o conhecimento sobre o meio ambiente desempenham um papel fundamental.

Vale ressaltar a experiência de Relações Públicas de empresas de tradição, como Shell e Pfizer, que foram evoluindo em forma e conteúdo de mensagens ao longo das décadas e o avanço tecnológico, além da experiência daquelas que surgiram após a grande expansão da Internet, como Google.

Essa será uma grande oportunidade para que todos os profissionais, empresários e diretores de diferentes empresas e organizações explorem novas tendências, conheçam casos de sucesso e iniciem contato e intercâmbio de negócios com os executivos mais influentes do mundo.

Para mais informações, visite http://www.ipracongressperu.com/.

Consumidor Sustentável: Você é?

No Comments »



Recentemente apresentado em SP, dossiê inédito revela mitos e verdades sobre o comprometimento do brasileiro com o conceito da sustentabilidade


O Portal Unomarketing lançou este mês o primeiro Dossiê de Consumo Sustentável, feito em parceria com a revista Ideia Socioambiental, a MOB Consult e a Market Analisys. Este foi o primeiro de uma série de apresentações trimestrais sobre comunicação consciente que serão disponibilizadas em salas temáticas no Portal Unomarketing. Temas como design sustentável, certificados e rótulos, marcas sustentáveis e estratégias de comunicação sustentáveis serão abordados até o fim do ano.

O documento, uma compilação inédita de 15 páginas já disponível para download no portal, é o mais completo e atual estudo sobre consumo consciente no Brasil e revela falsos mitos sobre o comportamento de consumidores.

A principal base para a elaboração do dossiê são os resultados do Monitor de Responsabilidade Social Corporativa 2010, realizado pela Market Analisys. Um dos méritos da pesquisa é eliminar a confusão causada entre os termos “intenção de compra” e “ação concreta”, focando o questionamento neste último.

Preço ainda é fator decisivo
A pesquisa, coordenada por Fabián Echegaray, mostrou que, diferentemente do que ocorre nos EUA e na Oceania, onde aproximadamente 55% do público preferem produtos de empresas socialmente responsáveis, o fator decisivo de compras para a maioria dos pesquisados brasileiros (35%) é o preço. No País, apenas 9% dos entrevistados mostraram-se preocupados com o comportamento socioambiental do fabricante; antes, outros fatores como características funcionais (19%), confiança na marca (16%) e disponibilidade (13%) são citados.

Outro dado do monitoramento mostra que no ano anterior à pesquisa, 78,8% das pessoas tinham ouvido/lido pouco ou nada sobre os esforços das empresas para melhorar o desempenho socioambiental. Para Ricardo Voltolini, autor do dossiê, isso se deve em parte à “falta de indicadores socioambientais específicos, rótulos explicativos e campanhas de comunicação de empresas baseadas nos atributos sociais e ambientais de seus produtos”.

Sociedade de Consumo
Apoio relevante para a elaboração do dossiê também foi a análise sobre a sociedade de consumo feita pelo consultor Luiz Bouabci, da Mob Consult, empresa especializada em mapeamentos de rede. Com uma ampla análise do comportamento na história do consumo e seus principais marcos históricos, como o feudalismo, o mercantilismo, a Revolução Industrial, o Fordismo e o consumo de massa, Bouabci conclui que a durabilidade, antes característica principal de produtos fabricados, deu lugar à obsolescência.

De acordo com o estudo, a partir da ideia de “modelo do ano” lançada pela GM na década de 20, os consumidores passaram a experimentar “o amor pelo novo” e a ritmar o consumo pela capacidade inovadora da indústria em gerar diferenciação entre os produtos. A partir da década de 60, a moda passou a ser fator determinante para status social incentivando o consumismo conspícuo. “Hoje a obsolescência já faz parte da estratégia de marketing de muitas empresas e fomenta a cultura do descarte”, comenta.

Entretanto, o consultor é otimista quanto aos movimentos de transformação desse comportamento de consumo, ainda que obscurecidos pela falta de informação. Segundo ele, problemas como “as mudanças climáticas, a escassez de recursos, o acúmulo de lixo e desordens sociais têm alertado a população global de que é preciso agir”.

Salas Temáticas
A íntegra do Dossiê de Consumo Consciente, além de ter sido publicada na edição 19 da revista Ideia Socioambiental, está disponível para download no Portal Unomarketing, na sala temática sobre o mesmo assunto. “Vamos lançar um dossiê a cada três meses, abordando temas como design sustentável, certificados e rótulos, marcas sustentáveis, dentre outras; vamos disponibilizar o conteúdo no portal e depois compilaremos todo o material para entregar na segunda edição do Seminário Unomarketing”, conta Paula Faria, idealizadora do Portal Unomarketing.

Chegou a vez das mulheres no 'Cervejão'

No Comments »




Dessa vez quem se dá bem no universo do Cervejão, campanha da cerveja Nova Schin, é a mulher, ou melhor, as mulheres, que são as protagonistas do novo filme, que já está rodando, denominado "Cartão". A criação da campanha é assinada pela Agência Euro RSCG. O filme surgiu da necessidade de criar algo dentro do universo da cerveja que falasse diretamente com o público feminino. Assim como os outros filmes da campanha, “Cartão do Marcão”, traz um clima irreverente e bem humorado. A direção é de René Sampaio, da Fulano Filmes, que conta os detalhes dessa produção que testou mais de 300 atores até chegar ao grupo seleto de cinco pessoas que encabeçam a campanha.








Posicionamento estratégico da comunicação interna na organização depende do trabalho em inteligência

No Comments »






Refletir sobre os benefícios de investir em inteligência em comunicação interna pode ser um passo importante na promoção estratégica da área dentro da organização. Este foi um ponto unânime entre os palestrantes da Conferência Internal Communications Intelligence da International Business Communications/IBC, integrante do Informa Group, realizada nos dias 24 e 25 de fevereiro de 2010 no Hotel Park Plaza em São Paulo/SP. Quanto mais organizado, planejado e rigoroso for o processo – dentro da realidade de mudanças contínuas típicas de ambientes vivos, mais chance de demonstrar influência nos resultados do negócio e garantir reconhecimento.

O gerente de Assuntos Governamentais e Institucionais da Caterpillar Brasil, Antonio Carlos Bonassi, relata que o planejamento estratégico na unidade começou em 1996, com estruturação de visão, missão e valores e com atenção ao engajamento. Vencedora dos prêmios de melhor empresa para se trabalhar em dois rankings (Great Place to Work e Revista Exame), hoje a organização enfrenta com maior sintonia e até antecipação todos os movimentos do mercado. O setor de Comunicação conta com nove funcionários com todas as graduações do segmento. Apesar da demanda pela área ser cada vez maior, as equipes vêm sendo enxugadas, relata o relações públicas, para quem dizer que comunicação empresarial precisa ser estratégica é uma grande redundância. A área em si precisa estar impregnada deste olhar de longo prazo, integrado e concatenado com cenários numa postura proativa de um time de especialistas. A ideia é ser referência no tema da informação e do relacionamento junto a todos os setores da empresa. O uso da inteligência na comunicação colabora com este patamar de reconhecimento, tornando as interações fluidas na estratégia do negócio.

Na Caterpillar, há 18 canais internos para uma equipe de 4.300 pessoas em uma única fábrica, entre veículos impressos, eletrônicos e plataformas presenciais trabalhados de maneira transparente, consistente e alinhada com a estratégia. A manutenção da periodicidade de todos os meios é tido como ponto crucial de credibilidade. O telejornal Bola da Vez tem o funcionário como protagonista falando histórias ligadas ao trabalho, mesmo recurso empregado na escolha das pessoas para figurar em campanhas internas. A grande maioria dos membros sinaliza a preferência pelo recebimento de dados diretamente do gestor, revela o executivo. A formação de líderes como comunicadores, por isto mesmo, configura-se como uma busca constante com vistas a evitar boicotes aos fluxos formais.

Entre os desafios para 2010, aponta a renovação da linguagem e formato de meios internos, facilitação de acesso às comunicações na fábrica com interatividade, criação de um programa de visitação para funcionários e estímulo do espírito empreendedor. A definição destes itens deu-se por pesquisa de clima, focus groups e enquetes pela intranet. Há ainda um índice mundial que relaciona indicadores como engajamento, liderança, diversidade, mudança, qualidade, valores, remuneração, gerenciamento executivo e desenvolvimento sustentável. O conhecimento sobre redes sociais é o investimento atual, inclusive com liberação de acesso no ambiente de trabalho. “Precisamos de pessoas empreendedoras, identificadas com a cultura organizacional. É o olho do dono, com outra visão de negócio”, explica. Neste sentido, uma campanha de incentivo recente resultou na entrega de duas ações da empresa para cada funcionário, significando um compartilhamento da propriedade e demonstrando o quanto o comprometimento com resultados é função e lucro de todos.

STATUS PRÓPRIO - Camila Pavan de Albuquerque, coordenadora de Comunicação Interna da Alstom Brasil – multinacional francesa de transporte e energia com mais de quatro mil funcionários no país, relata que a comunicação ganhou status próprio desatrelado de Recursos Humanos e agregado à responsabilidade social. A comunicação interna é responsável por criar um link entre a estratégia da empresa e seu funcionário, tendo a informação como base, transmitida com transparência, adaptação de linguagem e canal, prioridade sobre outros públicos e sentido positivo. Tudo está voltado ao reforço da coesão interna e há uma garantia de chegada de informações em todas as unidades ao mesmo tempo, incluindo canteiros de obras dentro do ambiente dos clientes. A distribuição de conteúdos acontece com apoio de funcionários previamente engajados.

Há várias informações mundiais, explica Camila, que são traduzidas e cascateadas em todos os níveis em até 48 horas, justamente pretendendo alcançar a percepção de grupo e evitar burburinhos – em uma sociedade tão interconectada, meios externos não podem veicular dados antes dos internos. Entre as ferramentas em operação constam a intranet, TV corporativa, mural e informe executivo. Ela detecta uma atratividade bem superior no meio audiovisual, por ter uma linguagem que aciona diferentes sentidos e ainda contém um dinamismo interessante para seu público. As campanhas internas ganham atenção especial: um exemplo foi o Bolão Solidário, em que os funcionários eram convidados a participar doando 2kg de alimentos para receber uma cautela onde indicava o vencedor da Copa do Mundo. Quem acertasse, escolheria uma entidade social para entregar todo o material arrecadado. Por fim, ela explica que as ações são monitoradas por um Comitê de Comunicação e por pesquisas anuais quanti e qualitativas.

O jornalista Renato Souza, gerente de Marketing e Comunicação da consultoria Delloite, ressalta a complexidade do trabalho dependendo do nível intelectual do público. Em seu caso, são mais de quatro mil funcionários-especialistas, com atuação em gestão de riscos, tributos, processos, auditoria e outsourcing, além de 132 sócios. Com uma cultura de alta produtividade, em que o pragmatismo, a persistência e a antecipação são pontos-chave, ele trata do trabalho em mercados-foco em constante mudança. Por isto, os grandes focos de comunicação interna precisam ser o “brand behavior”, de definição de papéis e responsabilidades do profissional como condutor de imagem e incorporador do posicionamento global da empresa; a formação técnica e de mercado, com conhecimento de assuntos ligados à prestação do serviço e às peculiaridades de cada cliente; e o apoio aos negócios, com prospecção de oportunidades de negócios e programas de relacionamento com clientes. Na seara do “brand behavior”, ele organiza campanhas pela disseminação de valores, objetivos comuns e atitudes em nome da marca, sendo que na formação técnica há ênfase na intranet, com estratégias, clipping, base de contatos, cursos online, metodologias e também newsletters remetendo a estudos internos do mercado.

MENSURAÇÃO – Não se pode falar em inteligência em comunicação sem atrelamento direto a formatos de avaliação de resultados. Para a jornalista Patrícia Soares, gerente de Comunicação Institucional da Bunge Alimentos (empresa de 15 mil funcionários em 14 unidades industriais e mais portos, moinhos, silos e usinas), a mensuração é base para melhorias e está congruente com a missão de zelar e incrementar a reputação, potencializando os resultados do negócio. As diretrizes são inovação, segurança, resultado, foco no cliente e produtividade. Para tanto, ela conta com uma rede colaborativa de agentes em todas as unidades para suporte às ações, afora a equipe de 10 pessoas no setor. Eles montam um quadro estratégico que relaciona ferramentas de comunicação com conceitos como awareness, compreensão, convicção e comprometimento, norteando as demandas dos setores e não agindo como mero atendedor. Junto a isto, há uma orientação sobre o papel da liderança na gradação que começa no desconhecimento, vai para conhecimento e entendimento até chegar na crença e na ação.

Patrícia mostrou o leque de canais impressos e eletrônicos utilizados e os desafios para melhorar o face-a-face. Na mensuração, são identificados direcionadores de valores gerais (eficiência e eficácia) e específicos (ferramentas de comunicação), dentro do entendimento da comunicação como integrada e de visão sistêmica. Além de desenvolver indicadores da área, ela sugere buscar os parâmetros de performance de outros setores e colaborar com o seu alcance, capitalizando os resultados de maneira conjunta. Como formato de pergunta, ela utiliza os conceitos de Fred Reichheld, que avalia se a pessoa recomenda ou não um produto ou serviço a outra pessoa, gerando aí o nível de satisfação e os perfis divididos em detratores, neutros ou passivos e promotores. A diferença entre promotor e detrator dá origem ao Net Promoting Score/NPS como meta de percepção. Seu setor gerencia análise de imprensa, auditoria de imagem, pesquisa de opinião com comunidade, pesquisa de avaliação de conteúdo, relatórios de visitas e eventos e índices pontuais já existentes, como produtividade, absenteísmo, clima e acidentes.


RP Rodrigo Cogo – Conrerp SP/PR 3674
Gerenciador do portal Mundo das Relações Públicas (http://www.mundorp.com.br/)

Sabedoria popular - post em rede

1 Comment »



Passei minha infância ouvindo ditados populares. Quem é caipira sabe o reflexo que isso tem na vida da gente. Um apego danado a estas frases feitas que tão bem resumem a sabedoria do povo. Os gurus do marketing que me perdoem, mas acho que elas são imbatíveis e na maioria das vezes ajudam mais que os tantos manuais da vida empresarial que existem por aí.

Outro dia recebi, via email, uma consulta a respeito da pesquisa em comunicação corporativa. Foi quando resolvi misturar alhos com bugalhos e selecionar alguns ditados para esclarecer minha opinião.

3. Quem procura, acha.

Essa é a essência da pesquisa: ir atrás da informação, coletar dados, sistematiza-los para que sejam analisados. As técnicas de pesquisa permitem identificar uma variedade enorme de quesitos da comunicação, tais como: eficiência dos meios, grau de satisfação, avaliações comparativas temporais, grau de uso de serviços, potencial de implantação de programas, grau de interesse em participar de projeto. Isso só para citar alguns.

* este material foi escrito pela relações públicas Suzel Figueiredo, pesquisadora pós-graduada em Pesquisa de Mercado, Mídia e Opinião/ESPM-SP e mestranda em Ciências da Comunicação/ECA-USP. Ela é diretora da Ideafix Estudos Institucionais e coordenadora do Instituto Aberje de Pesquisas. Contatos pelo suzel.figueiredo@ideafix.com.br .

** esta é uma postagem em rede, então, pra continuar sua leitura, leia a quarta parte no blog Clube do RP ( http://clubedorp.blogspot.com/). Veja que este post tem o terceiro dito popular: o primeiro você encontra no blog O Cappuccino ( http://ocappuccino.blogspot.com/) e o segundo está no blog Gecorp ( http://gecorp.blogspot.com/).


+QueReceitas, primeiro site de relacionamento gastronômico

No Comments »




Com o objetivo de desenvolver a gastronomia no Brasil, chega ao mercado nacional o primeiro site de relacionamento voltado aos profissionais de gastronomia e amantes da culinária gourmet, o + QueReceitas. Criado pelos sócios Felipe Perlino e André Svartman, o projeto visa promover a troca de experiências entre usuários por meio da colaboração no compartilhamento de conhecimento e informação sobre o tema. “Este é o primeiro site de gastronomia brasileiro a ter seu conteúdo totalmente produzido pelo próprio usuário. Por essa razão buscamos oferecer as melhores ferramentas para possibilitar a produção deste conteúdo e o seu compartilhamento”, afirma Felipe, que atua como diretor executivo do portal.

Desenvolvido para suprir as necessidades de conhecimento e informação dos profissionais de gastronomia e amantes da culinária gourmet, o + QueReceitas pretende atingir este objetivo por meio da disponibilização de diversas ferramentas colaborativas que permitam aos usuários produzirem seu próprio conteúdo.


60 anos da Kombi no mundo

No Comments »




A Volkswagen celebrará os 60 anos de produção da Kombi no mundo oferecendo aos clientes o concurso público “Minha História com a Kombi”. A ativação criada pela Bullet premiará as três melhores histórias vivenciadas envolvendo uma Kombi. O primeiro colocado ganhará uma Kombi 0 km e os outros dois ganharão um iPhone 3G. Para participar, basta preencher o cadastro no hotsite http://www.vw.com.br/kombi60anos e escrever a sua história no período entre 17 de março e 14 de abril de 2010. A melhor história será divulgada no site da Volkswagen. A ativação será válida em todo o país.

Clique solidário: ajude a APC a diminuir a fome

No Comments »










O site de pesquisa Mundo de Opiniões realiza doações em dinheiro para a Associação Prato Cheio a cada pesquisa respondida pelos internautas’


A partir de fevereiro a Associação Prato Cheio passa a integrar o programa assistencial da empresa de pesquisa Mundo de Opiniões. Os usuários do site que responderem pesquisas doam automaticamente o valor de sua participação para a APC. Contudo, o internauta não paga absolutamente nada, uma vez que a doação é feita integralmente pelo site para a ONG. A meta de arrecadação para a APC é de R$ 7.000,00 (sete mil reais).

“Além da excelente oportunidade de captarmos recursos para a APC, nossa presença no site http://www.mundodeopinioes.com.br/ também será útil para divulgarmos a instituição para um público que ainda não a conhece”, afirma Miriam Ferrari, Gerente Geral da Associação Prato Cheio.

O site Mundo de Opiniões também já realizou parcerias com as entidades “Doutores da Alegria” e “S.O.S Mata Atlântica”.

Sobre a Associação Prato Cheio
Além da arrecadação e distribuição de alimentos, a APC, fundada em 2001 por um grupo de jovens universitários, realiza outras atividades como acompanhamento nutricional das crianças atendidas e orientação sobre a manipulação e estocagem de alimentos, educando a consciência do desperdício.

A ONG ainda promove cursos de culinária com receitas que ensinam o aproveitamento máximo de alimentos doados, preservando seus valores nutricionais, e visitas às cozinhas de todas as entidades participantes. A sede da Associação Prato Cheio está localizada à Coronel José Eusébio, 95 - Travessa D. Paula, 100 - Casa 03, Consolação. Mais informações sobre a APC pelo telefone: (11) 3255.3559 ou pelo site http://www.pratocheio.org.br/.

Estudo destaca áreas protegidas como estratégia para conter mudanças climáticas

No Comments »




Estudo publicado hoje, que contou com a participação de cientistas de 13 instituições diferentes, entre as quais universidades e organizações de pesquisa, conclui que a proteção de áreas florestais constitui uma das estratégias mais eficazes, práticas e de efeito imediato para combater as mudanças climáticas.

Intitulado “Indigenous Lands, Protected Areas, and Slowing Climate Change” (Terras indígenas, unidades de conservação e o desaceleramento das mudanças climáticas), o estudo foi publicado no periódico científico PLoS Biology. Os autores recomendam, especificamente, que as unidades de conservação sejam incorporadas às estratégias de redução de emissões de gases de efeito estufa oriundas do desmatamento e da degradação florestal, conhecidas pela sigla REDD.

“O desmatamento é a causa de aproximadamente 15% das emissões mundiais de gases de efeito estufa. Esse percentual é superior ao de todas as emissões causadas por automóveis, caminhões, trens, navios e aviões no mundo inteiro. Se não conseguirmos reduzir as emissões oriundas do desmatamento, vamos fracassar nos esforços para estabilizar o clima”, afirma Taylor Ricketts, diretor do Programa Científico do WWF-Estados Unidos e principal autor desse estudo. “Nosso artigo demonstra que criar e fortalecer terras indígenas e unidades de conservação pode ser um meio eficaz de reduzir as emissões e, ao mesmo tempo, agregar vários benefícios adicionais para as populações locais e os animais silvestres”.

O estudo apresenta análises e demonstra que, desde 2002, na Amazônia Brasileira, o desmatamento foi 7 a 11 vezes menor dentro das terras indígenas e unidades de conservação (parques, estações ecológicas, reservas extrativistas e outras), em relação ao desmatamento ocorrido em áreas que não estão sob proteção oficial.

As simulações indicaram que as áreas protegidas criadas entre 2003 e 2007 foram capazes de prevenir o desmatamento de uma área estimada de 259 mil km2 até 2050. Essa área é maior do que o Estado de São Paulo e representa uma quantidade de carbono equivalente a um terço das emissões mundiais anuais de CO2. E a localização faz diferença: a eficácia das áreas protegidas na redução efetiva das emissões será maior quando as unidades de conservação estiverem em regiões onde ocorre maior pressão de desmatamento.

"Esse estudo confirma o acerto dos investimentos mundiais em áreas protegidas”, declara Gustavo A. B. da Fonseca, co-autor do estudo e Líder da Equipe de Recursos Naturais do Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF). “Além de proteger ecossistemas e espécies importantes no âmbito mundial, as 2.302 áreas protegidas que contam com o apoio do GEF cobrem uma extensão de 634 milhões de hectares e, juntas, servem de depósito para nada menos do que 30 bilhões de toneladas de CO2".

As políticas internacionais de compensação da redução de emissões oriundas do desmatamento e da degradação florestal (REDD) para nações com grandes áreas de florestas são objeto de intensas negociações. Para ter acesso aos fundos de compensação, os países em desenvolvimento terão que desenvolver programas e instituições capazes de reduzir as emissões por desmatamento.

“As unidades de conservação representam um componente valioso dos programas nacionais de REDD, pois já dispõem da infraestrutura e das instituições necessárias para utilizar os fundos, fortalecer a proteção e gerar resultados”, declarou Cláudio Maretti, superintendente de conservação do WWF-Brasil. “A criação de unidades de conservação geralmente torna mais claras questões relativas à propriedade da terra e aos direitos a créditos de carbono a ela associados, que têm sido motivo de impasse em algumas negociações”.

O estudo também avalia que os custos de criação e do aperfeiçoamento da gestão e manejo das unidades de conservação é inferior ao de outras alternativas para reduzir as emissões oriundas do desmatamento. Para completar uma rede robusta de áreas protegidas no mundo em desenvolvimento e fazer a gestão da mesma seria preciso dispor de US$ 4 bilhões anuais. Essa quantia equivale a aproximadamente um décimo do capital disponível para as políticas internacionais de REDD.

Segundo o estudo, as nações florestais podem fortalecer o papel das áreas protegidas em suas estratégias de REDD com as seguintes medidas:

Identificar onde as terras indígenas e as unidades de conservação poderiam ser mais eficazes para reduzir os índices de desmatamento e suas emissões associadas;


Instituir um monitoramento nacional para medir os índices de desmatamento e quantificar as reduções de emissões de carbono;


Criar mecanismos de seguro contra a extração ilegal de madeira e os incêndios florestais;


Suprir os povos indígenas e comunidades locais com as informações e capacitações necessárias para que eles possam participar;


Adotar a transparência nos pagamentos feitos para compensar quem é responsável pela redução de emissões.


O estudo publicado “Indigenous Lands, Protected Areas, and Slowing Climate Change” está disponível no link http://www.worldwildlife.org/science/2010pubs/WWFBinaryitem15590.pdf

Veja o MAPA (em inglês) que mostra os estoques de carbono e as emissões potenciais de uma seleção de unidades de conservação na Amazônia brasileira, disponível no link http://www.worldwildlife.org/science/2010pubs/WWFImgFullitem15589.jpg


As emissões potenciais são estimadas por meio da simulação do desmatamento futuro até 2050, em condições com e sem a presença das áreas protegidas. A diferença (que aparece em barras de cor laranja) representa a redução de emissões de CO2 atribuída a cada área protegida de floresta.

Começa amanhã, dia 17, a edição 2010 do WEB EXPO FORUM

No Comments »




Eric Klinker é um dos palestrantes internacionais do evento, que acontece até 19 de março em São Paulo e é um dos mais importantes do setor de comunicação digital no país

De amanhã, dia 17 de março, até o dia 19, a cidade de São Paulo recebe o mais importante e completo evento sobre a internet no Brasil, o WEB EXPO FORUM. Em sua quarta edição, que acontece no Centro de Convenções Frei Caneca, em São Paulo/SP, o WEB EXPO FORUM reunirá profissionais brasileiros e internacionais, que discutirão e compartilharão experiências e apresentarão tendências para o mercado sobre o futuro da internet no ambiente empresarial e os rumos da web 2.0.

Este ano, os participantes abordarão temas focados em uma nova geração de mídias sociais, os novos modelos da publicidade 2.0 e a explosão do comércio eletrônico. Além dos painéis de discussão, também acontecerão mais de 30 workshops voltados para as áreas de tecnologia, negócios e marketing digital.

Um dos destaques desta edição é Eric Klinker, CEO do BitTorrent (http://www.bittorrent.com/). O BitTorrent é o mais conhecido sistema de troca de arquivos peer-to-peer do mundo, responsável por uma verdadeira (e controversa) revolução na distribuição de arquivos digitais. Estima-se que no ano de 2005 o protocolo BitTorrent tenha sido responsável por 35% dos dados transferidos na Internet em todo o mundo.

Outro destaque entre os keynote speakers internacionais é Sanjay Dholakya, Chief Marketing Officer da consultoria Lithium (EUA), que falará sobre metodologias de análise que permitem avaliar o valor tangível da presença das empresas nas redes sociais e na web 2.0. Sanjay é consultor para a implantação de conceitos de rede colaborativa em grandes empresas como AT&T, Lenovo, British Telecom, Verizon, Linksys, Sony (PlayStation) entre outras.

O WEB EXPO FORUM conta ainda com a presença de Vanessa Fox, fundadora da Nine by Blue (http://www.ninebyblue.com/) e especialista em search engine optimization, que vai falar sobre como as empresas podem alavancar o marketing usando as ferramentas de busca para atingir a paridade com as grandes empresas. Vanessa participou do desenvolvimento do Google na época de sua criação e hoje é palestrante internacional reconhecida na área de buscas. E para falar sobre crowdsourcing advertising e inclusão social, vem o italiano Luca Messaggi, diretor da ZOOPPA Int'l, que traz na bagagem seis anos na Corbis, empresa de internet de Bill Gates, vendendo serviços visuais e de direitos em plataformas web.

Entre os painelistas nacionais, destaque para nomes como Carlos Ricardo VP de Marketing & Innovation da PepsiCo do Brasil, Mario Faria, diretor de Vendas e Negócios da Accenture e professor de Marketing Digital e Estratégia da BSP (Business School São Paulo); Pedro Cabral Filho, presidente da IAB Brasil – Interactive Advertising Bureau; Sérgio Aguiar Eleutério, gerente de marketing da plataforma jovem de Skol; e o diretor de Internet e Relacionamento da Tecnisa, Romeo Busarello.

O WEB EXPO FORUM poderá ser acompanhado pelo Twitter, Facebook e Sonico. Há ainda uma rede Ning, que já está no ar, possibilitando discussão e relacionamento entre os interessados.

Melhores projetos serão premiados
O evento também premiará, pela primeira vez, campanhas publicitárias, sites e iniciativas que trabalhem com o conceito web 2.0. Os cases participantes, desenvolvidos em formato de sites, projetos ou campanhas que usem o recurso, devem estar dentro de uma das 16 categorias definidas para o prêmio. Há ainda o Grand Prix, que será dado para o melhor case dentre todos os finalistas em todas as categorias, além de uma premiação em reconhecimento para a melhor agência digital. Todos os projetos inscritos deverão ter sido lançados, divulgados ou apresentados até o final de 2009.

A seleção será feita por um júri formado por entidades do setor, que escolherão os três melhores de cada categoria. A escolha final será feita por internautas, que poderão votar nos seus preferidos até o dia 10 de março. A lista dos vencedores será divulgada durante uma solenidade especial dentro do WEB EXPO FORUM, no dia 17 de março. Os vencedores ganharão troféus, além de terem seus trabalhos amplamente divulgados nas publicações da Converge Comunicações.

Start-ups poderão ser apresentados
Para incentivar o crescimento das empresas start-ups, o Web Expo Forum também terá um pitching inteiramente dedicado aos participantes que queiram apresentar a executivos do segmento ideias e projetos com soluções 2.0. A apresentação será no dia 19 de março, quando o(s) apresentador(es) terá cinco minutos para fazer a defesa oral de sua ideia. Ao término das apresentações, o júri já escolherá o vencedor.

Os regulamentos completos do Prêmio Converge de Inovação Digital e do Pitching Web Expo Forum estão disponíveis no site oficial do evento: http://www.webexpoforum.com.br/.

Congresso TV 2.0 acontece no dia 19
Ao mesmo tempo em que acontece o WEB EXPO FORUM, o Centro de Convenções Frei Caneca também recebe a 5ª edição do CONGRESSO TV 2.0, que acontece no dia 19. Esta edição do evento apresentará estratégias e tecnologias que viabilizam o conteúdo audiovisual em múltiplas plataformas, como TV, internet, celular e outras. O público esperado de mais de 400 pessoas debaterá assuntos como TV pela internet e celular, produção para novas plataformas, direitos autorais e interatividade.

Entre os destaques internacionais do TV 2.0 está o VP sênior do portal MSN, Joe Michaels, responsável por todas as parcerias de vídeo do portal, um dos mais visitados dos Estados Unidos. Em sua palestra, ele fará um balanço dos últimos cinco anos do cenário de distribuição de vídeos online.

A promoção dos dois eventos é das revistas TI Inside, Teletime e TelaViva. A organização é da Converge Comunicações, que conta com apoio de diversas entidades do setor.

Abracom realiza curso sobre comunicação em redes sociais‏

No Comments »


Tatuagem Digital: você já fez a sua?

No Comments »



Todos nós fazemos tatuagem digital diariamente não nos damos conta disso. Essa é a ideia central do workshop que o especialista em redes sociais e consultor sênior na TGT Consult, Waldir Arevolo, fará durante a quarta edição do Web Expo Forum. O evento será realizado em São Paulo entre 17 e 19 de março e reunirá profissionais do mercando brasileiro e internacional para compartilhar experiências e discutir tendências de mercado da internet.

“Tatuagem digital é o nosso registro de atividades e informações que deixamos na internet, intencionalmente ou não, por meio das redes sociais dos mais diferentes tipos e formatos, como Twitter, Facebook e blogs”, detalha Arevolo, que comentará na palestra os perigos e vantagens que surgem na hora de usar esses canais de interatividade.

Para todas as pessoas que utilizam a internet, principalmente os profissionais, o risco está na imagem que eles deixam registrada na rede. Waldir Arevolo alerta que publicar reclamações do emprego, de cansaço e até palavrões são verdadeiros tiros no pé, como aquelas tatuagens feitas durante a juventude que perseguem eternamente as pessoas. “Para um profissional em busca de emprego, as redes sociais podem facilitar a contratação ou mesmo criar desinteresse pelo contratador”, acrescenta.

Por outro lado, a internet multiplica as possibilidades de aproximação entre empresas e seu público consumidor. Em “canais” como Twitter, por exemplo, a qualidade das informações disponíveis pode congregar mais seguidores que, ao contrário da época em que a ferramenta foi criada, hoje procuram twitters que possam contribuir com suas necessidades e preferências. “Para o ambiente corporativo, as oportunidades são ainda maiores, pois é possível captar mais rapidamente demandas, idéias e opiniões sobre serviços e produtos, divulgar promoções, lançamentos e informar aos investidores e ao mercado ações e iniciativas adotadas pela empresa. Quanto maior for o nível de interatividade e quanto mais próximo for o relacionamento entre a empresa e as pessoas, melhor será a experiência e a impressão com as “tatuagens digitais”, tanto para pessoas, assim como para das empresas”, analisa especialista.

Sobre o palestrante
Waldir Arevolo é formado em Matemática com especialização em tecnologia da informação. Atua há mais de vinte anos em projetos relacionados à estratégia e arquitetura de TI. Possui ampla experiência como diretor de pesquisas nas áreas de gestão de conhecimento, integração de aplicações, arquitetura corporativa e soluções colaborativas, incluindo redes sociais, portais, e-learning e gestão de conteúdo.

SERVIÇO
Workshop Tatuagem Digital!? Essa todos nós (empresas e profissionais) já fizemos
Data: 19 de março, sexta-feira, às 11h
Endereço: 4º Web Expo Forum, no Centro de Convenções Frei Caneca, em São Paulo (SP)

“Corrente do Bem” nas mídias sociais

No Comments »



Ketchum Interactive Communications, divisão da Ketchum Estratégia que desenvolve a comunicação de empresas junto às mídias sociais, criou um pacote de ações para promover a campanha “Corrente do Bem”, em prol dos direitos de crianças e adolescentes brasileiros. A iniciativa é uma parceria da Procter & Gamble e do Fundo das Nações Unidas para a Infância – UNICEF, com o objetivo de incentivar o Programa de Sobrevivência e Desenvolvimento Infantil do Brasil.

Para disseminar a “Corrente do Bem” na internet, a Ketchum desenvolveu várias ferramentas de comunicação, como um hotsite especial (http://www.correntedobem2010.com.br/), um perfil do Twitter (@correntedobem_) e um aplicativo para Facebook (correntedobem_). No hotsite está disponível para download selos para blogs, templates para twitter e skins para MSN. Além das ferramentas desenvolvidas, também estão contempladas ações específicas com blogueiros e comunidades do Orkut e divulgação de vídeos com celebridades que apóiam a ação, como Daniela Mercury, Cesar Cielo, Daniela Sarahyba e Sheron Menezes, no Videolog e Youtube.

“A ideia é engajar os internautas e estimular a campanha, incentivando a maior participação da população. Hoje em dia, o boca-a-boca na internet é fundamental para o sucesso de qualquer ação de comunicação”, afirma Fernando Neves, diretor da Ketchum Interactive Communications. Como parte da iniciativa, cada pacote vendido de fraldas descartáveis Pampers com o selo da campanha contribuirá com o programa da instituição destinado ao desenvolvimento e à sobrevivência de crianças de até seis anos no Brasil. Cada pacote equivale a uma doação. Participam ainda da iniciativa as marcas Ariel, Gillette Prestobarba3 Feminino, Hipoglós Amêndoas e Pantene, que farão doações fixas baseadas na estimativa de embalagens vendidas de dezembro de 2009 a março de 2010.


É hora de aplicar inteligência nos processos de comunicação interna nas organizações

No Comments »





A formatação de business plan para aperfeiçoar a área, qualificar a equipe e garantir retornos financeiros aos investimentos chegou na comunicação interna das organizações. Diagramas, planilhas, projeções de despesas e receitas e outras ferramentas típicas dos setores administrativo-contábil agora fazem parte do cotidiano dos comunicadores. Com orçamentos cada vez mais enxutos, é preciso programar este universo de ação como gerador de valor e não como fonte de gastos. Foi o que se viu na Conferência Internal Communications Intelligence da International Business Communications/IBC, integrante do Informa Group, realizada nos dias 24 e 25 de fevereiro de 2010 no Hotel Park Plaza em São Paulo/SP.

A diretora de atendimento da Press&Mídia Comunicação, Dirce Alves, entende que inteligência competitiva diz respeito à busca de manutenção ou desenvolvimento de vantagem em relação aos concorrentes, a partir da captação, filtragem e análise de dados para embasar tomada de decisão. No contexto da sociedade do conhecimento, onde a interação dos âmbitos social, cultural, econômico, político e institucional é intensa, a efetividade da leitura de cenários influencia na qualidade da ação e reação. A inovação tecnológica e a busca da integração da informação são pontos fundamentais neste cenário, ao lado do alinhamento e da disseminação de missão, visão e valores como base para a reputação. “A inteligência competitiva é um componente crucial da emergente economia do conhecimento, com análise de players de mercado e antecipação de tendências”, complementa. Todo trabalho nesta área precisa levar em conta o diagnóstico dos pontos frágeis e fortes, análise de contexto regional e limitações de tempo e recursos. Com a consciência de que a informação gera negócio, os gestores estão cada vez mais atentos à potencialidade do tema.

A relações públicas Cynthia Provedel, gerente de Comunicação Interna da Ericsson Telecomunicações, trouxe uma equação bastante simples e interessante: se processos são criados de uma somatória de pessoas e ferramentas, e pessoas significam uma conjunção de competências e atitudes, a união entre processos e profissionais leva à inteligência e à otimização. Só atendendo à estratégia do negócio é possível posicionar a comunicação interna como agregadora de valor, com os subsídios necessários para definir plano tático e demandas e alocar ferramentas e recursos. Um ponto importante é reunir uma equipe que apresente competências técnicas, comportamentais e de negócio para dar andamento eficiente a este fluxo. Sobre competências técnicas, cita a formação em si, as habilidades táticas em mídias, conteúdos e ferramentas, o conhecimento sobre mensuração e de temas transversais como branding, sustentabilidade e recursos humanos. As competências comportamentais dizem respeito à capacidade de assumir riscos e liderança, ao poder de persuasão, argumentação e coaching, à agilidade no raciocínio com respostas rápidas, à automotivação, ao relacionamento interpessoal, à sensibilidade, humildade e flexibilidade. Já sobre competências de negócio, a executiva cita conhecimentos de valores de marca, cultura organizacional e do ambiente do mercado. Por isto, indica o assessment, um mapeamento do nível de prontidão, resultados e potencial das pessoas, que cada vez mais atualmente precisam aglutinar habilidades como ser gestor da marca (identidade e reputação), do negócio (forças e fraquezas do cenário e da cultura organizacional), da mudança (provocador de transformações), de mensuração (avaliação, monitoramento, indicadores) e de conteúdos (criação e difusão de mensagens consistentes), além de influenciadores culturais (diplomacia corporativa e entendimento do humano).

Processos inteligentes organizam a estrutura e as tarefas, com consistência planejada sustentando estratégia, tática e tomada de decisão. A ideia é desenvolver processos transparentes e eficientes para identificar gargalos, interfaces e responsabilidades com rapidez. É preciso abranger todos os elos da cadeia com a mesma visão, plataforma e ferramentas. Uma comunicação interna estruturada, para a gerente da Ericsson, busca alinhamento entre escopo estratégico do negócio e de CI, posicionando-se como ferramenta de gestão: a área deve observar e estudar elementos para assegurar a satisfação dos funcionários (a partir do entendimento do perfil, repertório e hábitos), e assim ser permeada por processos robustos, transparentes e inteligentes. O trabalho completa-se com a consulta de líderes e formadores de opinião como aliados da estratégia e multiplicadores confiáveis do face-a-face.

PERCEPÇÕES – A jornalista Fabiana Franco, assessora de imprensa do Hospital Santa Rita de Cássia - uma entidade filantrópica de atendimento a pacientes com câncer em Vitória/ES com 1.200 funcionários e mais de 360 voluntários, tem a visão de que o público interno é um dos responsáveis por difundir positivamente o nome da empresa e precisa então ser um aliado. Neste sentido, os canais de comunicação são desenvolvidos e implantados e os públicos de interesse são mapeados e segmentados para garantir atenção e repercussão. “Muito mais do que ter um bom comunicador”, alerta ela, “o setor de comunicação deve se preocupar com o eco de sua voz”.

A integração dos sete mil funcionários da CPFL Energia levaram o gerente de Comunicação Carlos Henrique Ramos a transformar a intranet em um portal de notícias com lay-out arejado e com informações em tempo real. Antes, o espaço era praticamente um depositário de banners, com dados escondidos e sem padronização visual, e a operacionalização do novo projeto veio com treinamento de engenheiros e técnicos-líderes para torná-los disseminadores da nova interface. Uma ampla campanha de comunicação foi implementada, com cartaz no elevador, email marketing, banners impressos e eletrônicos. Toda a estratégia foi baseada na necessidade cada vez maior de expressão da equipe, tanto que a inserção de cerca de quatro matérias por dia – com a participação de 35 colaboradores-repórteres – levou a 240 mil acessos nos cinco primeiros meses. Já foram registrados 689 comentários, que são considerados “o coração do projeto”, e foram postados 125 anúncios no espaço de Classificados recém-criado. Para Ramos, o canal reforça a determinação da empresa em informar prioritariamente o público interno. O próximo passo é o Orkut corporativo.



Ana Claudia Gomes, responsável pela comunicação interna na Diagnósticos da América/DASA, falou sobre a elaboração de um business plan inteligente na área, identificando previamente as necessidades organizacionais e do público interno para poder apresentar um documento assertivo para a tomada de decisão. Ela cuida de 13 mil funcionários em nove regionais no país e faz a gestão de prioridades das áreas-clientes de acordo com o planejamento estratégico do negócio. A executiva ressalta o alto impacto, e portanto a responsabilidade, sobre a geração de conteúdo relevante, numa gradação que envolve uma seqüência de etapas – saber, compreender, acreditar, agir e multiplicar. É neste mesmo enfoque que trabalha Aline Melo, coordenadora de Comunicação do Centro Universitário Senac, como consultoria interna e não como atendedor de demandas, até porque são quatro mil funcionários em 60 unidades em todo o estado de São Paulo. O maior desafio é a organização dos fluxos informativos entre setores, normalmente um nó dentro das estratégias comunicativas.



RP Rodrigo Cogo – Conrerp SP/PR 3674
Gerenciador do portal Mundo das Relações Públicas (http://www.mundorp.com.br/)

Luiza Brunet encanta em nova campanha das Havaianas

No Comments »






O cenário do comercial, que deverá estrear nas emissoras de TV no domingo, dia 14/3, é uma loja da marca, em São Paulo. O filme foi dirigido por Clovis Mello, da Cine, e a bronzeada Luiza Brunet contracenou com os atores Joaquim Lopes e Felipe Bond. Com roteiro criado por Gustavo Sarkis e Renato Fernandez, o filme lembra ao público a história da sandália, comparando-a à da própria Luiza: ambas nasceram em 1962, tornaram-se famosas no Brasil e ganharam o mundo, sem perder a simplicidade.


A direção de criação da campanha é de Marcello Serpa. No filme, Luiza chega à loja e pede aos dois vendedores um par de Havaianas lilás. Enquanto um deles providencia o pedido, o outro – sem medir palavras e tietagem – desanda a falar sobre as coincidências entre a vida da modelo e a das Havaianas. Empolgado, para enfatizar a declaração de amor, sugere que o slogan das sandálias mude para “Havaianas e Luiza Brunet. Todo mundo usa”. La Brunet deixa claro que a ideia não é muito boa e sai, levando as Havaianas que havia pedido. O vendedor não entende a reação e seu colega, com ironia, mostra o equívoco que ele havia cometido. O slogan da campanha é “Havaianas. Todo mundo usa.” E, em seguida, surge a assinatura "As legítimas, desde 1962".






Heineken promove ‘Heinekontro’ na fábrica de Jacareí via twitter e Facebook

No Comments »



Iniciativa inédita acontecerá neste sábado e reunirá cerca de 80 consumidores que conhecerão o processo de fabricação da tradicional cerveja



Bastaram menos de três dias de campanha no twitter e no Facebook para que todos os lugares disponíveis para uma visita à fábrica da Heineken no país se esgotassem. Pela primeira vez, a marca Heineken realizou uma divulgação nas conhecidas redes sociais de comunicação e relacionamento Web 2.0 na qual convidava os fãs da mundialmente conhecida cerveja 100% puro malte para conhecer a história da companhia, os ingredientes e o processo de fabricação desta tradicional marca comercializada em mais de 180 países.

Após a visita, que acontecerá neste sábado (13/03) na unidade localizada no município paulista de Jacareí, os convidados participarão de uma degustação e receberão brindes. A iniciativa, que celebra o “Dia do Consumidor” (15/03), destaca também a importância de que cada visitante venha acompanhado do “motorista da vez”, onde este também será reconhecido pela sua importância e responsabilidade.

Comercial da BMW e ilusionismo

No Comments »


Um ‘mágico’, uma pequena mesa cheia de louça e uma toalha. É assim que começa o novo vídeo de exibição da Nova BMW S 1000 RR. Em alguns milésimos de segundo um ilusionista puxa a toalha deixando a louça intacta sobre a mesa. O desafio não parece tão grande quando se trata de um dos truques mais velhos do mundo. A cena seguinte impressiona: um verdadeiro banquete foi montado. Uma mesa enorme, taças, pratos e arranjos de flores esperam pelo ilusionista.

É aí que chega a convidada principal para o jantar, a BMW S 1000 RR. Capaz de atingir 100 km/h em 2.9 segundos, a moto esportiva puxa os diversos metros de tecido em pouquíssimo tempo. A alta velocidade permite que a louça do banquete permaneça intacta.

O vídeo com 979329 visualizações está despertando a curiosidade de quem assiste sobre a veracidade da cena: falso ou verdadeiro? Confiram os comentários deixados na página da BMW




Nova campanha publicitária da BR

No Comments »





Para quem curte Código Da Vinci, aí vai uma boa pedida!

No Comments »

A Editora Gente lança O Código do Marketing, de Stephen Brown, que em forma de aventura, explica os sucessos de marketing da atualidade e do passado e contesta termos arraigados sobre o assunto. Durante a narração da história de Abby Maguire, Brown discute cases de sucesso como O código Da Vinci, Senhor dos Anéis, Harry Potter, de uma forma crítica e contundente.

Com comentário de Philip Kotler, professor da Northwestern University, O Código do Marketing é um romance de muito suspense que revela os segredos do marketing do século XXI e vai além da cortina de fumaça dos clichês “o cliente em primeiro lugar” ou o “foco no cliente”.
Mas o que é marketing? Podemos definir como um conjunto de técnicas de comercialização de produtos ou serviços, envolvendo pesquisas de mercado, adequação e promoção junto aos consumidores, ou uma ação feita para favorecer a venda de um produto ou serviço, ou para influenciar o público favoravelmente em relação a uma ideia, pessoa, empresa. É contra esse conjunto de técnicas ou a essa ação que o autor lança a máxima “O amor pelos clientes é a raiz de todo o mal”.

Stephen Brown é considerado por alguns colegas do meio como o anticristo do marketing, por suas opiniões polêmicas, interpretações e conceitos contestadores sobre o marketing. O autor comenta obras e descreve pessoas que já tiveram no auge da fama e ainda estão.

Dia do Consumidor chegando...

No Comments »





O BuscaPé lançou o novo filme Opiniões, que procura mostrar aos consumidores a importância da troca de informações sobre processos e produtos entre as pessoas que já compraram e as que procuram pelo mesmo artigo. O objetivo principal é divulgar este serviço para um púbico maior, que possa contribuir ainda mais com opiniões postadas no site.

Este é o quarto vídeo, de um total de seis, da campanha Compra Consciente, criada pela agência Kwarup, que contempla mensagens sobre a importância da pesquisa antes da decisão de compra, bem como na busca das ofertas de produtos que consomem menos energia elétrica, além de procurar comparar preços sem sair de casa, evitando agredir o meio ambiente com a emissão de gases poluentes.











Edição de 2010 do Programa Oi de Patrocínios Culturais Incentivados contempla pela primeira vez projetos em todo o país

No Comments »





São 259 ações de cultura beneficiadas nas áreas de teatro, cinema, artes visuais, dança e música


Lista pode ser acessada no site www.oifuturo.org.br/patrocinios2010/




O Programa Oi de Patrocínios Culturais Incentivados 2010 terá, pela primeira vez, abrangência nacional. Serão contemplados 259 projetos em 15 estados brasileiros. Entre as iniciativas selecionadas, há peças de teatro, mostras de cinema e artes visuais, longa-metragens, shows de música, festivais de dança, novas tecnologias, cultura popular, literatura e patrimônio.

Os projetos foram avaliados por comissões especializadas em cada uma das áreas culturais e terão a confirmação do patrocínio condicionada à apresentação dos certificados válidos nas leis estaduais e municipais de incentivo à cultura. Entre outubro e novembro de 2009, foram inscritas 5.355 mil propostas dos diferentes estados da área de atuação da companhia.

Seguindo o mesmo modelo das últimas edições, o Oi Futuro, organização sem fins lucrativos que atua na área de responsabilidade social, será responsável pela gestão do Programa. Serão destinados recursos para o financiamento, total ou parcial, de projetos aprovados em leis de incentivo à cultura nos estados da área de atuação da empresa. “Pela primeira vez, o Programa Oi de Patrocínios Culturais Incentivados contemplará projetos em todas as regiões brasileiras”, diz José Augusto, presidente do Oi Futuro.

Apoiado em conceitos como identidade, acesso, desenvolvimento, expressão e inovação, o programa considera fundamentais aspectos como a capacidade de geração de novas platéias, de renda, de criação de novas oportunidades de trabalho e de formação de artistas. “Dessa maneira, a Oi, como maior empresa de telecomunicações do país, reforça o compromisso com a valorização da cultura nacional”, afirma George Moraes, vice-presidente do Oi Futuro.

Também foram priorizadas iniciativas que valorizam talentos regionais, que têm desdobramentos sociais e que reúnem arte e tecnologia. “Houve um aumento de inscrições na categoria de Tecnologia e Novas Mídias, em projetos que representam uma nova forma de produzir cultura, como games e seriados para celular”, diz a diretora de Cultura do Oi Futuro, Maria Arlete Gonçalves.